• Bibi Alves

Pernambuco terá retorno de aulas presenciais no dia 6 de outubro apenas para o ensino médio



O governo de Pernambuco anunciou, na tarde desta segunda-feira (21), o retorno das aulas presenciais em escolas da educação básica do estado para o dia 6 de outubro tanto para unidades da rede pública quanto para as particulares em todas as regiões do estado. Na primeira etapa, a volta às aulas envolve apenas o terceiro ano do ensino médio. Ainda não há datas para a retomada do ensino fundamental e da educação infantil. A volta será opcional e caberá aos pais ou a estudantes com 18 anos ou mais decidir sobre frequentar ou não as atividades presenciais. O modelo remoto de ensino deve continuar sendo oferecido.


Por causa dos vestibulares e Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), o retorno começa com os estudantes do último ano da educação básica. Em seguida, a partir de 13 de outubro, estão autorizadas as aulas para o segundo ano do ensino médio. No dia 20 de outubro, o plano avança para os estudantes do primeiro ano de ensino médio. Serão permitidas as atividades presenciais tanto nas escolas regulares como nas integrais, técnicas e Educação de Jovens e Adultos (EJA).


A retomada, portanto, será, no dia 6 de outubro, para 91 mil estudantes. Essa é a quantidade de alunos do terceiro ano do ensino médio em Pernambuco, de acordo com a edição de 2019 do Censo Escolar, do Ministério da Educação (MEC). Em todo o ensino médio, são 335 mil estudantes. A educação básica em Pernambuco tem 2,1 milhões de alunos.


"De todas as decisões difíceis que precisamos tomar, desde o início da pandemia, o retorno às escolas foi a maior delas. Mesmo com indicadores da Covid-19 em queda consolidada desde o final de maio, só agora, com a média móvel de casos e óbitos, além das solicitações de leitos de UTI, no patamar equivalente ao do início de abril, autorizamos a retomada de aulas presenciais no ensino médio”, disse o governador Paulo Câmara.


O secretário estadual de Educação, Fred Amancio, afirmou que a pasta realizou uma "ampla análise do contexto para avaliar riscos e benefícios da abertura das escolas, bem como a experiência e resultados obtidos em mais de 15 países que já retomaram as aulas durante a pandemia". Segundo o secretário, o retorno deve ser feito por escolas que atendam aos critérios de retomada estabelecidos pelo protocolo do governo, como distanciamento de pelo menos 1,5 metro em sala de aula; instalação de pias para higienização constante das mãos no ambiente escolar, além de orientações para todos nas escolas; monitoramento e testagem dos casos suspeitos.


De acordo com o secretário estadual de Saúde, a volta às aulas será feita de maneira planejada, gradual e segura. "Os novos protocolos incorporam ao dia a dia escolar o uso de máscara, o distanciamento social e o reforço da higiene pessoal e de ambientes, além do monitoramento e da garantia de prioridade da comunidade escolar para testagem", afirmou. Um centro de testagem para profissionais da educação vai funcionar, das 7h às 15h, para exames da Covid-19 mediante agendamento na sede da Secretaria Estadual de Educação, no bairro da Várzea, Zona Oeste do Recife.


Estudantes, professores e trabalhadores da educação com fatores de risco não devem retornar ao modelo presencial, segundo o secretário de Saúde. "Iremos testar todos aqueles que apresentarem sintomas da Covid-19 bem como seus contactantes próximos e pessoas do convívio familiar", disse André Longo. "São muitos os casos de sucesso e os países que conseguiram voltar às aulas sem novos surtos. Aqueles que assim conseguiram observaram uma sustentação do achatamento da curva epidemiológica, como é o nosso caso. Desde julho estamos em queda sustentada dos números", completou.


Estudos recentes realizados na Inglaterra, Austrália e Espanha, que sugerem que as crianças têm papel limitado na transmissão do novo coronavírus, foram citados pelo secretário de Saúde para justificar o retorno. "Esperar a pandemia passar seria negar a realidade da necessidade de conviver com a doença. Também iria contra as evidências positivas mundo afora. Precisamos ainda levar em consideração que, com a retomada das atividades, muitas crianças e adolescentes já passaram a sair de casa e a circular por outros ambientes, como shoppings, parques e praias", ressaltou Longo.


O secretário de Planejamento e Gestão, Alexandre Rebêlo, destacou a queda em três indicadores importantes para a decisão da retomada das aulas presenciais: número de casos, quantidade de óbitos e demanda por leitos de UTI. “Os índices têm reduzido desde junho, e, em setembro, a tendência continua. É o quarto mês de redução consecutivo”, pontuou.

Repercussão


O Sindicato dos Estabelecimentosde Ensino no Estado de Pernambuco (Sinepe-PE) classificou como "revoltante" o anúncio feito nesta segunda-feira pelo governo. "A impressão que temos é de que não estão levando a educação a sério. Estamos (escolas privadas) preparados desde julho para a reabertura. Permitir só o terceiro ano do ensino médio, público que representa apenas 5% do total de alunos da educação básica em Pernambuco, é um descompromisso", afirmou o diretor executivo do Sinepe-PE, Arnaldo Mendonça.


Segundo ele, as escolas esperavam uma autorização para todos os segmentos da educação básica. "Não tem lógica começar o ensino médio em datas diferentes para as três séries. Parece que o governo não quer mexer com o fundamental e infantil porque, na rede pública, são responsabilidades dos municípios. Isso em um ano de eleições municipais. Será que é coincidência?", questionou Arnaldo Mendonça.


O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Estado de Pernambuco (Sintepe) informou ter estranhado a posição do governo do estado ao anunciar a retomada das atividades presenciais. "A medida foi tomada de forma unilateral e não ouviu a representação dos professores, apesar de termos um canal de discussão aberto. É algo que mexe com a categoria, mas que não foi conversava com o sindicato", disse o presidente do Sintepe, Fernando Melo. "Convocamos assembleia virtual para a categoria debater nesta quinta-feira a questão. Também solicitamos reunião com o secretário de Educação, Fred Amancio", completou. 





© 2019 Iguaracy Para o Povo